[Valid RSS] [Valid RSS] Lendas Artes e Literatura Góticas: Novembro 2012

Seja Bem Vindos!

24 novembro, 2012

Estranhas coincidências...



A vida está cheia de coincidências; algumas menores mas ocasionalmente extraordinárias. Esta é uma lista das 15 mais incríveis coincidências, as mais inacreditáveis.

O Livro da Infância

Quando a novelista americana Anne Parrish visitava livrarias em Paris nos anos 20 do século XX, deu de cara com um livro que era um dos seus favoritos na infância: "Jack Frost and Other Stories". Escolheu o velho livro e mostrou-o a seu marido, dizendo que ele lhe trazia recordação de quando era criança. Seu marido examinou o livro e na folha em branco encontrou a inscrição: "Anne Parrish, 209 N. Weber Street, Colorado Springs". Era o livro que ela possuiu na infância.

Sorte no Póquer

Em 1858, num ato de vingança por aqueles com quem jogava pôquer, Robert Fallon foi vítima de um disparo e morreu. Os agressores diziam que ele havia ganho a quantia de $600 dólares de forma fraudulenta. Com o lugar de Fallon vazio foi difícil encontrar alguém para substituí-lo e chegou-se a oferecer os 600 dólares como prêmio para que alguém ocupasse o lugar. Surgiu um novato que se candidatou à vaga. Enquanto a Polícia ainda investigava o crime, o novo jogador transformou os 600 em 2.200 dólares. Os policiais exigiram os 600 originais para ser entregues aos parentes do morto - e foi só então que se descobriu que o jogador novo (que já havia saido do cassino) era na verdade o filho de Fallon, que não via o pai há sete anos.


Coincidência de Poe

No século 19, o famoso escritor de horror, Edgar Allan Poe, escreveu um livro chamado "As Aventuras de Arthur Gordon Pym" (1838). A novela tratava de quatro sobreviventes de um naufrágio que se salvaram em um bote por muitos dias e que, diante da fome, finalmente decidiram matar o grumete, cujo nome era Richard Parker.
Alguns anos depois (1884), o barco "Mignonette" afundou-se, salvando-se unicamente quatro sobreviventes em um pequeno bote durante muitos dias. Em certo momento e num ato de antropofagia os três sobreviventes maiores assassinaram e comeram o grumete do barco. Seu nome era Richard Parker e se tratou de um famoso caso que não teve nenhum precedente na lei inglêsa.

Os Gémeos

Os irmãos-gêmeos, Jim Lewis e Jim Springer, foram separados no nascimento e adotados por famílias diferentes. Por desconhecerem os nomes, ambas as famílias batizaram os meninos de James. Cada um dos James cresceu sem saber do outro e os dois desenvolveram habilidades de desenho mecânico e carpintaria. Ao se casarem, suas mulheres chamavam-se Linda. Ambos tiveram filhos, um com o nome de James Allan e o outro chamado James Allan. Os irmãos gêmeos também se divorciaram e se casaram com outras mulheres - ambas chamadas Betty. E ambos possuíram cães cujo nome era Toy.

Publicada por Afonso Santos


14 novembro, 2012

As flores da morte


Conta-se que uma moça estava muito doente e teve que ser internada em um hospital. Desenganada pelos médicos, a família não queria que a moça soubesse que iria morrer. Todos seus amigos já sabiam. Menos ela. E para todo mundo que ela perguntava se ia morrer, a afirmação era negada.

Depois de muito receber visitas, ela pediu durante uma oração que lhe enviassem flores. Queria rosas brancas se fosse voltar para casa, rosas amarelas se fosse ficar mais um tempo no hospital e estivesse em estado grave, e rosas vermelhas se estivesse próxima sua morte.

Certa hora, bate a porta de seu quarto uma mulher e entrega a mãe da moça um maço de rosas vermelhas murchas e sem vida. A mulher se identifica como "mãe da Berenice". Nesse meio de tempo, a moça que estava dormindo acordou, e a mãe avisou pra ela que a mulher havia deixado o buquê de rosas, sem saber do pedido da filha feito em oração.

Ela ficou com uma cara de espanto quando foi informada pela mãe que quem havia trazido as rosas era a mãe da Berenice. A única coisa que a moça conseguiu responder era que a mãe da Berenice estava morta há 10 anos.

A moça morreu naquela mesma noite. No hospital ninguém viu a tal mulher entrando ou saindo.


12 novembro, 2012

Tragédia no cemitério




Há muitos anos atrás, um grupo de amigos em Ouro Preto - MG, resolveu fazer uma aposta; entrar a meia-noite numa cova aberta em um cemitério. Todos os cinco entraram, mas o último, ao sair da cova gritou de horror... alguém o segurava e o puxava para dentro da cova. Apavorados, os outros quatro fugiram. No dia seguinte encontraram um jovem de mais ou menos 25 anos, com os cabelos totalmente grisalhos, e expressão de horror, morto, dentro da cova aberta e vazia. Às suas calças estava agarrado um pedaço de raiz, que o prendeu, e o matou de susto...