[Valid RSS] [Valid RSS] Lendas Artes e Literatura Góticas: A Dança do Pesadelo

Seja Bem Vindos!

07 dezembro, 2013

A Dança do Pesadelo


Um marido e três filhos, uma casa, umas festinhas de vez em quando, muita simpatia e energia de sobra. A princípio, Thina parece ser uma mulher normal com uma vida realizada, mas se não fosse um gosto estranho por certos escritos e músicas sombrias, ela não teria pela frente um acontecimento tão terrível em sua vida.
Thina Curtis era uma grande fã de um fanzine chamado Sombrias Escrituras, e admirava a música de Getúlio Silenzio, cujo projeto musical ele mesmo denominou como sendo “Gargula Valzer”.
O marido de Thina a avisava sobre seus estranhos gostos para música e literatura: “Não fique lendo muito esse fanzine, e essa música então! Você vai acabar tendo pesadelos...”
De fato, o fanzine Sombrias Escrituras só trazia em suas páginas versos desesperados de melancolia, suicídio, soturnismo, horror, terror e depressão. Eram poemas sombrios, às vezes acompanhados por ilustrações inquietantes. Os artigos só traziam como tema a literatura de autores atormentados pelo lado mórbido da vida, muitos eram suicidas. E a música do Gargula Valzer, algumas vezes, trazia um tempero parecido, e ainda era acrescido de temas vampíricos.
O responsável pelo fanzine Sombrias Escrituras era conhecido pelo pseudônimo Sr. Arcano, e dizem as más línguas que Arcano e Getúlio Silenzio conspiravam nas sombras um meio de fazer prevalecer as forças das trevas, influenciando seus fãs para o caminho do mal...
Mas Thina Curtis não se importava com nada disso. Ela adorava ler todas as edições do fanzine Sombrias Escrituras, e delirava com os CDs do Gargula Valzer! Em seu quarto ela guardava numa estante os fanzines e CDs, e tinha pôsteres de Getúlio Silenzio e Arcano colados nas paredes. Sem dúvida, ela era uma criaturinha das trevas!
E mesmo com três filhos para criar, ela ainda tinha tempo de sair para as festas góticas de São Paulo. Com muita bebida e música fazendo sua cabeça girar, ela viajava no mundo de Getúlio e Arcano. Thina sonhava acordada com castelos assombrados habitados por vampiros, e Getúlio Silenzio sentado num trono oferecendo a ela uma taça de sangue; Cemitérios em que os poetas suicidas das Sombrias Escrituras saíam de seus túmulos para um Sabat regado a vinho e poesia. E alguns personagens surgiam para atormentar sua mente ainda mais atormentada: Alessandro Reiffer, o poeta maldito que queria, a qualquer custo, um apocalipse para acabar de vez com essa humanidade asquerosa, vinha num enorme cavalo negro que exalava fogo das narinas, e logo atrás vinha Marcos T. R. Almeida, o insano!, carregando em correntes várias mulheres para suas orgias demoníacas. Mas esse mundo maldito não era constituído só de homens, pois logo atrás vinham as vampiras Ânira Noctum, um cadáver, que em vida chamava-se Dejanira; e Kleide Keite, com lágrimas negras caindo de seus olhos sombrios. E logo depois vinha a terrível bruxa Rosana Raven, invocando uma tempestade terrível para essa reunião de seres malditos.
Thina pensava no que seu marido lhe dizia: “Não fique lendo muito esse fanzine, e essa música então! Você vai acabar tendo pesadelos...”. E ela ficava pensando: “Ah! Como seria legal se eu sonhasse com isso tudo!”. Mas Thina só podia mesmo imaginar, porque nunca em seus sonhos ela viu sequer um personagem desses.

LEIA MAIS, clicando na frase abaixo
Até que certo dia uma notícia lhe deixa muito triste: Numa reunião organizada por Arcano para comemorar os cinco anos de Sombrias Escrituras, Getúlio Silenzio, Alessandro Reiffer, Marcos T. R. Almeida, Ânira Noctum, Kleide Keite, Rosana Raven, e o próprio Arcano, morreram num acidente de avião, enquanto viajavam para São Paulo. A notícia deixa Thina tão abalada que ela não consegue sair da cama.
Os dias passam tristes, lutuosos. Seus amigos sombrios foram embora e levaram com eles seus sonhos encantadoramente sombrios.
Mas no mundo das trevas, quem é morto sempre volta, e Thina soube muito bem disso ao chegar seu último dia de luto, em que ela põe seus filhos para dormir e deixa seu marido na cama, para depois fazer uma homenagem a todos os seus mortos amigos malditos.
Ela leva todos os exemplares do fanzine Sombrias Escrituras e os CDs do Gargula Valzer para um quarto especial, com estante e janela, onde resolve deixar tudo organizado para na semana seguinte realizar uma exposição.
Era tanto material a ser organizado, com fanzines, CDs, pôsteres, poemas ilustrados, que Thina abre a janela para descansar enquanto a brisa noturna acaricia seu rosto e a enorme lua cheia ilumina partes de seu quarto. As lembranças de seus amigos mortos vêm à mente, e Thina volta ao trabalho para não chorar. E entre vários fanzines, CDs e papeladas ao seu redor, Thina adormece cansada e triste...
Ela ouve então um barulho estranho, algo se arrastando em sua direção. E quando se levanta para ver o que é, vê o corpo de Getúlio Silenzio, que se arrastava com os braços porque não havia nada de sua cintura para baixo, a não ser a cauda de sua espinha dorsal. Ele a chamava com sua voz gutural, deixando à mostra seus dentes de vampiro: “Thina, seja bem-vinda ao seu pesadelo”.
Ela grita apavorada e sai correndo do quarto, mas no fim do corredor de acesso para todos os quartos ela vê Rosana Raven, segurando um crânio nas mãos ensangüentadas, enquanto sopra ao seu redor um bafo funesto, espalhando-se numa grande fumaça que deixa as paredes, o teto e o chão podres e cheios de vermes.
Thina, nesse momento, só consegue pensar em seus filhos, e corre direto para o quarto das crianças. Mas quando abre a porta, depara-se com uma cena terrível: a vampira Kleide Keite devorava os restos de seus filhos banhada em sangue. Thina solta um grito estridente e corre em direção ao seu quarto, onde tinha deixado seu marido dormindo. E encontra Ânira Noctum sobre o corpo morto de seu marido, comendo o coração dele numa orgia em que Marcos T. R. Almeida participava.
As visões são terríveis, e Thina quase desmaia. O medo é tanto que ela corre, quase sem conseguir de tanto tremer, e sai cambaleando em direção à porta de saída de sua casa. Mas quando lá chega, eis que Alessandro Reiffer surge montado em seu cavalo negro que solta fogo pelas narinas, arrombando a porta e entrando na casa. Alessandro desce de seu cavalo e vai ao encontro de Thina, que corre para os fundos, onde encontra Arcano, com um chapéu grande que escondia com sua sombra as órbitas cujos olhos foram arrancados. Um grande manto cobria seu corpo, e ele disse:
— Seja bem vinda ao seu pesadelo, esse sonho maldito que você sempre desejou ter. Viemos buscá-la para viver conosco esse sonho sombrio. Sabemos que você adora isso! E então? Você vem?
Arcano abre seu manto no peito, deixando à mostra as costelas de seu esqueleto. Ele quebra duas de suas costelas e parte para cima de Thina. Ela corre apavorada, e Arcano vai atrás dela cravando as costelas quebradas nas paredes do corredor, como ganchos, que quebram o concreto causando um grande estrondo.
Aos poucos, todos vão cercando Thina. Ela corre, tropeça, grita. Até se ver cercada por todos, num canto, sem saída. Ela sente cada vez mais perto de seu rosto o bafo fétido de Rosana Raven. As vampiras Kleide e Ânira já estão quase a abraçando, Getúlio se arrasta pelo chão e já quase toca seus pés. Alessandro solta uma gargalhada infernal enquanto se aproxima cada vez mais. Marcos T. R. Almeida já a observa bem de perto, lambendo suas pernas. E quando Arcano ergue suas costelas a ponto de cravá-las no peito de Thina, ela solta um grito alucinante: “NÃÃÃÃOO”...
Então Thina acorda. Sua cama cheia de CDs do Gargula Valzer, fanzines Sombrias Escrituras, desenhos e poemas de Ânira Noctum, desenhos de Rosana Raven, contos obscenos e bizarros de Marcos T. R. Almeida, contos apocalípticos de Alessandro Reiffer, poemas soturnos de Kleide Keite. Todo esse material sombrio cobria sua cama, e Thina via-se rodeada de todo esse pesadelo. Ela resolve então pegar todo esse material e jogar tudo fora. Nem se dá conta de que seu marido não está ali. Pega tudo e joga pela janela, sem reparar direito no visual de fora. E continua pegando, e jogando tudo fora. Uma, duas, três vezes. Até se dar conta de que algo estava muito errado. Ela tinha se virado depois de jogar o último montante fora, e agora, pasmada, temia virar-se novamente para a janela, com medo de confirmar o absurdo que tinha visto de relance. Mas ela vira, e olha apavorada para fora, percebendo que sua casa estava flutuando!
Do lado de fora, no centro de um ciclone, Alessandro Reiffer voava em seu cavalo que deixava um rastro de fogo em seu vôo. Getúlio Silenzio não precisava se arrastar, pois no ciclone ele podia flutuar enquanto tocava seu teclado, numa visão mórbida de tocar com sua longa espinha dorsal à mostra. Rosana Raven voava desferindo raios ao seu redor, coberta por um manto que quase não se via o fim. E as vampiras Kleide e Ânira tinhas grandes asas de morcego, elas levavam Marcos T. R. Almeida, que loucamente dava gargalhadas estridentes, completamente fora de controle, enquanto abraçava Dejanira.
Sem perceber que Arcano se aproximava da janela, Thina é puxada por ele abruptamente para fora de casa. Ele a puxa dizendo: “Venha dançar com o pesadelo”. E ao som da música de Getúlio, Arcano dança com Thina Curtis no ciclone, apertando-a em seu corpo, tão forte que suas costelas quebradas perfuram o corpo de Thina. E ela vê que irá mesmo morrer...
Thina foi levada. Agora ela pertence ao mundo que ela sempre admirou. E o ciclone engole a casa e também Thina, com todos os seres malditos que ali estavam. Todos vão para um abismo escuro, todos vão para o mundo das trevas...
Enquanto isso, Thina acorda. Mas acorda morta, seus olhos se abrem já sem cor. E ela dá seu último suspiro, com a cama cheia de sangue dos ferimentos em seu corpo, ferimentos causados pelas costelas quebradas de Arcano.

Autor: Sr. Arcano

Nenhum comentário: